segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

O empresário Alexandre Pereira é o novo secretário estadual do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico


O empresário Alexandre Pereira é o novo secretário estadual do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico, na reta final do mandato do governador Cid Gomes (PSB).

O Centro Industrial do Ceará está de volta ao primeiro escalão do Governo estadual, num momento de renovação dos quadros da administração pública.

O Palácio da Indústria, que é sede da Fiec e do CIC, já surge como o novo aliado político das administrações públicas de Fortaleza e do Ceará. O futuro da Parceria Pública e Privada nas mãos dos empresários cearenses, como uma nova política pública na área de Indústria e Comércio do Governo estadual.  

O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa e o secretário estadual Alexandre Pereira. A sede da FIEC - CIC. (28/01)


O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa e o jornalista Eliomar de Lima. A sede da FIEC - CIC. (28/01)

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

O Partido dos Trabalhadores no Ceará com síndrome de pequena agremiação partidária


O Partido dos Trabalhadores ainda procura se reorganizar do fracasso da estratégia equivocada de sua atual presidente estadual, em relação ao processo político – eleitoral do ano passado, no pleito eleitoral de Fortaleza. Os petistas começaram a demonstrar uma aptidão para o silêncio, em relação aos seus desarranjos internos na condução da sucessão estadual.

A ex – prefeita Luzianne Lins (PT) entrou num estado de silêncio diante da imprensa cearense, em relação à defesa de sua gestão pública. A bancada de vereadores fortalezenses do Partido dos Trabalhadores, já começa um processo de fugir dos holofotes do debate público sobre o início do governo municipal do prefeito Roberto Cláudio (PSB).

O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa no estúdio da FM Universitária 107,9. (24/01)

O deputado federal José Nobre Guimarães (PT) deverá indicar a maioria dos membros da futura direção estadual do Partido dos Trabalhadores. Os petistas não têm nenhuma estratégia de rompimento, com o bloco partidário PMDB – PSB, para o pleito eleitoral de 2014. O PT será um sócio minoritário na reedição das alianças vitoriosas dos pleitos eleitorais de 2006 e 2010, que elegeram o governador Cid Gomes (PSB).

O presidente estadual do Partido Socialista Brasileiro, o engenheiro Cid Gomes, precisa arranjar um espaço vital na sua administração do Governo estadual, para o retorno do Partido dos Trabalhadores, como aliado confiável ao seu grupo político. O PT virou um apêndice dentro da gestão pública estadual, como fosse um partido dependente dos cargos comissionados e dos terceirizados, sem alternativa de sobrevivência política – eleitoral, numa síndrome de pequeno partido.


quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

O governador Cid Gomes (PSB-CE) e as suas incursões na política nacional


O governador Cid Gomes (PSB-CE) teve seis anos de parceria administrativa, com a ex–prefeita Luzianne Lins (PT-CE), a sua única interlocutora na política local. O cenário de dependência de uma aliança, com o PT local, foi uma das causas, para o presidente estadual do Partido Socialista Brasileiro, o engenheiro Cid Gomes, somente se dedicar a política estadual, nesses últimos seis anos, sem muitas incursões a nível nacional.

A vitória do ex – deputado estadual Roberto Cláudio (PSB-CE) para prefeito de Fortaleza, no ano passado, já seria responsável por criar um novo cenário político – administrativo, nunca antes experimentado, pela liderança estadual de Cid Gomes, onde houve a eliminação do obstáculo da dependência na parceria com o Partido dos Trabalhadores, para os futuros pleitos eleitorais.

O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa sendo entrevistado na sede TV União - Fortaleza - Ceará.(23/01)

O governador Cid Gomes (PSB) começa a fazer novas incursões no cenário político nacional, como um novo interlocutor interno no seu partido, sem a preocupação de intermediário entre os seus aliados na política local. Cid Gomes procura fazer uma política antagônica ao governador Eduardo Campos (PSB-PE), por meio de ações na arena política nacional, sem com isso aumentar o tom do discurso nos meios de comunicações, e sempre na defesa do melhor para o PSB, na parceria com o Planalto.

O novo líder neo – socialista Cid Gomes tem a sua estratégia sempre beneficiada, pois não havia uma cultura interna de confronto aos interesses eleitorais do presidente nacional do Partido Socialista Brasileiro. O governador Eduardo Campos (PSB-PE) tem dificuldade em criar uma candidatura própria para presidência da República, no PSB, como também, sem condição de avançar numa relação político – eleitoral de aliança, com o PSDB, pois, somente sobraria o posicionamento de realinhamento, com a candidatura de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).



terça-feira, 22 de janeiro de 2013

O deputado estadual Heitor Férrer (PDT-CE) e o novo partido da ex - senadora Marina Silva


A ex – senadora Marina Silva começa a reunir os seus aliados para construção de um novo partido, como instrumento de viabilização, para a sua pré – candidatura, no próximo pleito eleitoral, para a Presidência da República. O deputado estadual Heitor Férrer (PDT-CE) será o provável líder dessa nova agremiação partidária na política cearense.

Marina Silva já tem uma agenda de ações para cumprir os trâmites legais no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), já como primeiro ato no dia 16 de fevereiro, em Brasília, haverá o lançamento da nova sigla partidária, com a presença dos seus aliados nos principais estados da Federação. O parlamentar pedetista, o médico Heitor Férrer, deverá ajudar na viabilização da comitiva cearense, que vai ao Distrito Federal, pois a mesma é formada por seus simpatizantes (heitorzistas) da sociedade civil.  



O Partido Democrático Trabalhista somente pode esperar os próximos movimentos do seu principal quadro partidário na política cearense, mas com a expectativa de algumas defecções entre os seus militantes na cidade de Fortaleza. O novo partido vai procurar o ex – governador Tasso Jereissati (PSDB-CE), para construir em conjunto uma frente – partidária contra o bloco de partidos do governador Cid Gomes (PSB-CE).

O grupo do deputado estadual Heitor Férrer (PDT-CE) já nasceria moderado na construção das alianças para o pleito eleitoral de 2014, pois há necessidade de aliados políticos, para eleição municipal de Fortaleza, em 2016. O PSDB vai ajudar na viabilização do novo partido, que já nasce forte na cidade de Fortaleza, sobre a liderança de Heitor Férrer, no alto de seu capital político de aproximadamente 240 mil votos, no primeiro turno do pleito eleitoral de 2012. 

O psicanalista Antônio Secundo e o sociólogo Luiz Cláudio Ferreira Barbosa. Livraria Leitura no Shopping Delpaseo.(22/01)

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

O deputado federal Henrique Alves (PMDB-RN) tem reunião com o governador Cid Gomes (PSB-CE)


O governador Cid Gomes (PSB-CE) sempre em direção contrária a do seu companheiro de agremiação partidária, o também governador Eduardo Campos (PSB-PE). A direção nacional do Partido Socialista Brasileiro apoia de maneira quase informal, a postulação do deputado federal Júlio Salgado (PSB-MG), para presidência da mesa diretora da Câmara Federal.

O deputado federal Júlio Delgado (PSB-MG) está na bancada parlamentar mineira de apoio ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) e, o mesmo será lançado como um candidato independente, a presidente do Congresso, no biênio 2013 - 2014, por um partido da base governista (PSB) da presidente Dilma Rousseff (PT). O PSB ainda mantém uma relação cordial, com o interesse político - eleitoral do futuro presidente do PSDB, o ex – governador mineiro, Aécio Neves, e a sua candidatura presidencial no pleito eleitoral de 2014.

O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa

O deputado federal Henrique Alves (PMDB-RN) será recebido pelo governador Cid Gomes (PSB-CE), na sede do Governo do Estado, nessa quarta-feira (23/01), com direito a apoio junto da bancada cearense da Câmara Federal, para a sua candidatura de presidente do Congresso Nacional.

O neo - socialista Cid Gomes está disposto a isolar o presidente nacional do Partido Socialista Brasileiro, o governador pernambucano, como o interlocutor principal da negociação interna, para o apoio a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).

O governador Eduardo Campos (PSB-PE) não esperava o estilo ousado de articulação do presidente estadual do Partido Socialista Brasileiro da seção cearense, que faz articulação junto ao Planalto, para ser o anti – Eduardo Campos na sigla. Cid Gomes (PSB-CE) vai declarar o seu apoio, como também vai desempenhar um papel importante no enfraquecimento interno da candidatura do deputado federal Júlio Delgado (PSB-MG), na bancada de parlamentares socialistas, para presidência da Câmara Federal.



domingo, 20 de janeiro de 2013

Os vereadores fortalezenses e o futuro de suas principais lideranças


O presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, o vereador Walter Cavalcante (PMDB), não esperava fazer parte de um processo desgastante junto aos seus pares do legislativo municipal. O Gabinete do Prefeito de Fortaleza fez uma série de demissões em todos os órgãos da gestão pública, com a saída de vários funcionários comissionados, medida administrativa que também foi estendida  aos cargos terceirizados dos setores de serviços.

O vereador Walter Cavalcante deverá sofrer o primeiro momento de descontentamento político – administrativo na bancada governista, da Câmara Municipal de Fortaleza. O presidente Walter Cavalcante corre o perigo de entrar num limbo institucional perante o executivo municipal, no caso do mesmo sair em defesa dos seus companheiros do legislativo municipal, que são contra as demissões em massa na grade de funcionários da Prefeitura de Fortaleza.

O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa

O vereador fortalezense do baixo – clero da Casa do Povo, por si só é um dependente desses cargos públicos, que não são concursados, pois os mesmos necessitam desses agentes sociais, com vínculos empregatícios na Prefeitura de Fortaleza, como indutores de políticas públicas, com perfil fisiológico, em suas bases eleitorais (Bairros, Associações, Sindicatos).

O líder do governo na Câmara Municipal de Fortaleza, o vereador Evaldo Lima (PC do B), já saiu em defesa da medida fiscal de cortes dos funcionários não concursados da gestão pública na capital cearense. O vereador Evaldo Lima precisa mostrar certa maestria na negociação para explicar aos vereadores das necessidades do executivo municipal em equilibrar as finanças públicas da Prefeitura de Fortaleza.


sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Os vereadores fortalezenses e as demissões dos funcionários comissionados e dos terceirizados


O prefeito de Fortaleza, o médico Roberto Cláudio, entra em rota de colisão com a sua base parlamentar na Câmara Municipal de Fortaleza. Os antigos administradores ( Cambraia – Juracy – Luzianne ) do executivo municipal da capital cearense, que durante muitos mandatos mantiveram uma relação nada saudável aos cofres públicos, numa relação institucional promíscua com os vereadores.

Roberto Cláudio (PSB) depois de conseguir obter uma maioria folgada entre os parlamentares municipais da Casa do Povo, já havia a certeza da continuação na relação institucional entre o executivo e o legislativo, que sempre foi baseado nas cotas de terceirizados e dos funcionários comissionados nos últimos vinte anos.

O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa em entrevista na FM Universitária 107,9 - Fortaleza - Ceará.(17/01/2013)

A Secretaria de Governo e o Gabinete do Prefeito fizeram demissões em massa entre os terceirizados e funcionários comissionados dos órgãos públicos (Saúde, Educação, Serviços Gerais, etc...) da Prefeitura Municipal. A meta da administração municipal é a redução de mais da metade do número de terceirizados, algo em torno de 15.000 demissões, no quadro da máquina pública de Fortaleza, para os próximos quatro anos. O número de técnicos comissionados será mantido, pois é algo em torno de 3.200 funcionários provisórios, mas com modificação do quadro técnico em torno de 50% ainda nesse primeiro ano de mandato do prefeito Roberto Cláudio (PSB).

A maioria dos vereadores já não aceita essa resolução administrativa de enxugamento dos quadros profissionais na Prefeitura de Fortaleza. A Câmara Municipal de Fortaleza foi responsável pela mini - reforma  nas secretarias e nas autarquias na capital cearense, onde a maioria dos vereadores votaram sem conhecer o projeto em sua integra enviado pelo Gabinete do Prefeito.

A sociedade civil fortalezense tende a apoiar as medidas moralizadoras do prefeito Roberto Cláudio (PSB), na administração pública de Fortaleza, com a certeza de que deverão aumentar os índices de popularidade da atual gestão pública. A diminuição dos cargos terceirizados e dos técnicos comissionados do quadro de funcionários da Prefeitura de Fortaleza já gerou um debate público na sociedade civil. 


quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

O senador Eunicio Oliveira (PMDB - CE) e a candidatura informal para presidência do Senado


O senador José Sarney (PMDB – AP) não deseja a perda do comando da mesa diretora do Senado, para o biênio de 2013-2014, que deverá ficar nas mãos de um senador peemedebista. O senador Renan Calheiros (PMDB – AL) começa a sofrer uma série de ataques na sua conduta de homem público, que não é nada republicano, por isso  sua candidatura à presidência da Câmara Alta, não teve respaldo na opinião pública e com isso será vetada pelo Planalto, na véspera da escolha do nome entre os senadores do PMDB.

A presidente Dilma Rousseff (PT) praticamente está assistindo o cozinhamento do senador peemedebista do estado de Alagoas, sob a coordenação dos principais veículos de comunicação da imprensa nacional. Dilma Rousseff sempre leva em consideração os índices de aprovação do seu governo, na opinião pública. A chance da manutenção do apoio do Planalto às pretensões do senador Renan Calheiros (PMDB - AL), de voltar ao cargo maior da mesa diretora do Senado, cada dia fica bem menor.

O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa foi entrevistado para o Jornal União Brasil. Sede da TV União de Fortaleza - Ceará.(17/01/2013)

O vice – presidente Michel Temer (PMDB - SP) e o senador José Sarney (PMDB - AP) já começaram a construção de uma nova alternativa ao nome do senador Renan Calheiros (PMDB - AL). O senador Eunício Oliveira (CE), que  é um nome de quase consenso para liderança do PMDB no Senado,  começa a ser também o nome oficial para substituir o atual mandatário peemedebista na presidência da Câmara Alta.

O senador Eunicio Oliveira (PMDB – CE) tem o apoio da bancada peemedebista da Câmara, como também, do grupo dos senadores independentes da bancada do PMDB, pois os mesmos não seguiram a orientação do senador José Sarney (PMDB-AP). Os senadores da ala do senador Renan Calheiros (PMDB - AL) poderão concordar com esse novo rearranjo da cúpula nacional do PMDB.

Eunicio Oliveira caminha para ser uma alternativa para conter o linchamento midiático do PMDB nos meios de comunicações, como uma espécie de renovação não programada, pelas antigas lideranças peemedebistas. Percebendo a inevitável queda do senador alagoano, o próximo nome de destaque  poderá ser o vice – presidente Michel Temer (PMDB – CE), por isso a necessidade de acalmar as mídias tradicionais ( Televisão, Rádio, Jornal), e as novas mídias sociais (Facebook, Twitter), com os seus debates públicos, quase sempre negativos ao PMDB na sociedade civil.
           

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

O Centro Industrial do Ceará e os novos secretários na área de Desenvolvimento Econômico


O Centro Industrial do Ceará sempre foi considerado como o maior fomentador das discussões de políticas públicas na área da iniciativa privada. A geração de notáveis do CIC – FIEC foi ao final dos 1970, na presidência do ex – senador Beni Veras, com a participação de várias lideranças do sistema produtivo da Industrial e Comércio, entre eles: Tasso Jereissati, Amarílio Macedo, Sérgio Machado, entre outros.

No final do ano de 2012, o mundo da política cearense presenciou o surgimento de uma nova classe de homens públicos oriunda dos setores produtivos da iniciativa privada, pois todos são membros do Centro Industrial do Ceará. Os ex – presidentes do CIC, que são os dirigentes patronais,  Alexandre Pereira e Robson de Castro, nesse momento ocupam duas importantes secretarias nas administrações públicas do estado e da prefeitura de Fortaleza.

O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa e o secretario estadual Alexandre Pereira. Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico do Ceará. (16/01/2013)

O ex – presidente do CIC, o administrador de empresa, Robson de Castro, faz parte do primeiro escalão da prefeitura de Fortaleza, pois é o titular na Secretária de Desenvolvimento Econômico, com apoio do setor produtivo (CDL – FIEC – CIC) da capital cearense. Robson de Castro tem força para as novas diretrizes das políticas públicas na área de desenvolvimento econômico em Fortaleza, com apoio total do prefeito Roberto Cláudio (PSB).

O ex – dirigente máximo do Centro Industrial do Ceará, o empresário, Alexandre Pereira, é o novo secretário do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico do Ceará. Alexandre Pereira será o novo homem forte na administração pública do governador Cid Gomes (PSB), com probabilidade de ir para Câmara Federal no próximo pleito eleitoral. 


terça-feira, 15 de janeiro de 2013

O discurso anti - petista não faz parte da retórica ideológica do PSB no Ceará


O prefeito Roberto Cláudio (PSB) durante o período eleitoral adotou um discurso anti – petista, no caso especifico do segundo – turno, para o executivo municipal de Fortaleza, onde o seu oponente, era o ex – secretario de Educação, o advogado Elmano de Freitas, que teve o apoio da ex – prefeita Luizianne Lins (PT). Roberto Cláudio ainda mantém um discurso midiático nos principais órgãos da imprensa cearense, onde nessas primeiras semanas de sua administração municipal, o seu foco é sempre com ênfase na maneira nada eficiente dos petistas durante a gestão (2005 – 2012) das políticas públicas da maior cidade do Ceará.

A construção da frente partidária no segundo – turno no pleito eleitoral de Fortaleza em 2012, que foi favorável ao prefeito eleito do PSB, por si só é caracterizado pela vinda de vários grupos anti – petistas a nível local e a nível nacional, como por exemplo: PPS, PDT e o DEM. O próprio PSDB de forma não institucional foi para dentro da campanha do PSB no segundo – turno da sucessão municipal de Fortaleza.

Este discurso anti – petista, com ingredientes ideológicos do cenário nacional, não é oriundo do discurso administrativo – político do governador Cid Gomes, e do seu partido (PSB), pois o Partido dos Trabalhadores ainda é aliado de primeira hora da atual gestão pública do Governo estadual.

O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa

Os socialistas e os peemedebistas não desejam uma ruptura com o PT, isso traria uma série de empecilhos a uma eleição tranquila, na antiga forma de aliança entre essas três agremiações partidárias, na política cearense.

A direção estadual do Partido dos Trabalhadores já começa a sofrer uma série de pressões dos seus filiados, por essa posição de concordância com o linchamento público feito pelo atual prefeito de Fortaleza, em detrimento da herança administrativa de oito anos da gestão municipal da ex – prefeita, a jornalista Luzianne Lins. Na visão da militância petista, já se criou uma repercussão negativa, na imagem do partido da presidente Dilma Rousseff (PT), na avaliação da maioria das correntes internas do PT, este fato pode gerar um saldo negativo de votos, nas eleições de 2014, no eleitorado cearense.

O governador Cid Gomes deverá iniciar um processo de questionamento entre os novos aliados (PPS – DEM), num processo de conscientização de que não há necessidade de adotar o discurso anti – petista, nos próximos meses do ano de 2013. Esse posicionamento será estendido ao grupo político do prefeito de Fortaleza, o médico Roberto Cláudio (PSB). Cid Gomes deseja o monopólio do palanque eleitoral da reeleição da presidente Dilma Rousseff em solo cearense, nunca aceitaria entrar em zona de atrito, com a direção nacional do Partido dos Trabalhadores.



segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Dilma Rousseff e o enquadramento do governador Eduardo Campos


O governador Eduardo Campos (PSB – PE) reinicia o caminho de aliado da reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT), numa espécie de recuo estratégico da ideia de candidatura própria do Partido Socialista Brasileiro para Presidência da República em 2014
.
Eduardo Campos não encontrou espaço tático dentro do bloco governista do Planalto, para se tornar a opção não petista, para a sucessão da presidente Dilma Rousseff (PT), como também não será convidado para ser o vice – presidente na chapa majoritária liderada pelo Partido dos Trabalhadores.

O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa

O senador Aécio Neves (PSDB – MG) já compreendeu que o PSB não vai abandonar a base de sustentação do Governo federal, pois a ala interna sob a liderança do governador do Ceará, o engenheiro Cid Gomes (PSB – CE), já conseguiu rachar a agremiação partidária socialista. Aécio Neves não deverá alimentar o sonho de uma aliança com o PSB, que com certeza seria o melhor caminho para ficar competitivo eleitoralmente na Região Nordeste.

O presidente nacional do Partido Socialista Brasileiro, o governador Eduardo Campos (PE), não tem como mantém uma aliança branca com o PSDB, sem desagrada o ex – presidente Luis Inácio Lula da Silva e a executiva nacional do Partido dos Trabalhadores.

A presidente Dilma Rousseff não tem o estilo de conciliação do antigo sucessor, por isso, as suas ordens são para o esvaziamento de qualquer defecção entre os aliados políticos do Planalto. O PSB sucumbiu a realidade de ser mero aliado com recursos públicos do Governo federal, com isso cresceu nas duas últimas disputas eleitorais (2010 – 2012) no cenário nacional.


domingo, 13 de janeiro de 2013

O senador Aécio Neves e os seus articuladores políticos: FHC - Tasso Jereissati - Sérgio Guerra


O senador Aécio Neves (PSDB – MG) será o novo presidente do Diretório Nacional do Partido da Social Democracia Brasileira, em substituição ao atual mandatário do cargo, o deputado federal Sérgio Guerra (PSDB – PE), numa clara estratégia de lançamento de uma candidatura presidencial competitiva, no pleito eleitoral de 2014.

O PSDB procura expurgar os seus erros nas últimas campanhas presidenciais (Serra – Alckmin – Serra), com seus efeitos negativos na agremiação partidária, e nos seus aliados mais próximos: O Partido Democratas e o Partido Popular Socialista.

O DEM faz uma aproximação com o PMDB, num trabalho de fusão das duas siglas partidária após o pleito eleitoral de 2014. O PSDB não tem futuro na agenda de prioridades eleitorais dos democratas nos palanques eleitorais dos Governos estaduais; o parceiro que será primordial é o PMDB do vice – presidente da República.

O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa

O Partido Popular Socialista já caminha para fazer uma aliança nacional com o Partido Verde. Os populares socialistas e os verdes farão várias alianças regionais nas eleições de 2014, pois esses palanques estaduais, com certeza irão funcionar como o embrião de um novo partido de centro – esquerda. A candidatura própria no bloco partidário PV – PPS pode ser oferecido a ex – senadora, Marina Silva, como uma demarcação de espaço no espectro ideológico de não fazer parte da polarização na política brasileira das últimas campanhas presidenciais (1994 – 1998 – 2002 – 2006 – 2010), entre o PT e o PSDB.

O Instituto Teotônio Vilela do PSDB sob a presidência do ex – senador Tasso Jereissati (CE), já iniciou a montagem do programa de governo na área econômica, com a participação de renomados economistas no plano nacional: Armínio Fraga, Edmar Bacha e Pedro Malan. O ex – presidente da Republica, o sociólogo Fernando Henrique Cardoso, junto com o atual presidente nacional do PSDB, o deputado federal Sérgio Guerra (PT), já trabalham para atrair o presidente nacional dos Democratas, o senador Agripino Maia (RN), para esse projeto político – eleitoral. O PSDB procura os setores produtivos do Mercado Financeiro – Industrial como o primeiro parceiro político para corrida presidencial de 2014.


sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Eduardo Campos e a não assimilação da estratégia vitoriosa do Cid Gomes no PSB


O governador Eduardo Campos (PE) não aceita a interferência do Planalto entre os filiados do Partido Socialista Brasileiro, na escolha da candidatura própria ou no apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). O presidente do diretório nacional está num processo de questionamento da sua liderança entre os filiados do PSB.

Eduardo Campos se comportou como uma alternativa presidencial para o pleito eleitoral de 2014, com apoio dos principais órgãos da imprensa nacional, sem questionamento interno no PSB.

Somente após o surgimento no cenário nacional da figura do governador Cid Gomes (PSB), com uma agenda propositiva de ações na área da administração pública, que contou com apoio do Planalto, a direção nacional do partido do governador de Pernambuco, fez a opção de abandonar a ideia de candidatura própria, já para se enquadrar na base partidária da presidente Dilma Rousseff (PT).

O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa em entrevista na Rádio Clube - Fortaleza - Ceará. (11/01)

O Partido dos Trabalhadores fora derrotado em suas duas primordiais administrações municipais no país, nesse caso as cidades de Recife (PE) e de Fortaleza (PSB), nessas localidades os vitoriosos para o cargo de prefeito, são filiados ao Partido Socialista Brasileiro.

O presidente estadual do Partido Socialista Brasileiro secção Ceará, o engenheiro Cid Gomes, no final do pleito eleitoral de Fortaleza, não mediu esforços em uma política de pacificação com o Planalto, e com isso teve o aval da maioria dos membros do Partido dos Trabalhadores no estado, com repercussão positiva na direção nacional do partido do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.

O Partido dos Trabalhadores ainda não assimilou a derrota na capital pernambucana, por isso, que há um movimento de fortalecimento do governador Cid Gomes (PSB), como interlocutor no PSB, para o pleito eleitoral presidencial de 2014. O governador Eduardo Campos (PSB) ainda procura compreender o esvaziamento de sua pré – candidatura, que foi feita pelo Planalto com a contribuição dos socialistas cearenses. O Partido Socialista Brasileiro está refém das manobras políticas - eleitorais do núcleo do poder da presidente Dilma Rousseff (PT). 


quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

A Cidadã Luizianne Lins saiu em defesa da ex – prefeita Luizianne Lins de Fortaleza


A ex – prefeita Luizianne Lins não entrou de férias após deixar o comando da prefeitura de Fortaleza, pelo contrario, como se houvesse retornado ao seu estilo agressivo da época que fez parte do parlamento, durante os seis anos como vereadora (1996 – 2002), e depois dois anos como deputada estadual (2003 – 2004). Luizianne Lins faz uma série de ataques ao atual prefeito, como também a defesa do legado de sua gestão pública (2005 – 2012).

A direção estadual do Partido dos Trabalhadores no Ceará, não tem interesse em romper com o governador Cid Gomes (PSB), que já entra na fase final do seu segundo mandato (2011 – 2014). O PT vai caminhar para reeditar a sua aliança a nível estadual com o bloco político – administrativo do PMDB e do PSB. Os petistas cearenses renegam a defesa da administração municipal de Fortaleza dos últimos oito anos, como uma espécie de expurgo histórico da ex – prefeita Luizianne Lins dos anais da história política da agremiação partidária.

O diretor - executivo Ricardo Dreher e o consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa. A sede do jornal O Estado ( http://www.oestadoce.com.br/ ) - Fortaleza - Ceará. (09/01)

Luizianne Lins não conta com um grande contingente de defensores de sua administração pública, na sociedade civil, com isso a sua defesa fica a cargo da sua subjetividade, pois o seu grupo se desfez no campo político – ideológico. É necessário, num primeiro momento, a reorganização da sua corrente petista, a Democracia Socialista, já no momento seguinte, o realinhamento programático da bancada de vereadores petistas, para abandonar o posicionamento de ser oposição em função da derrota eleitoral.

O prefeito Roberto Cláudio (PSB) iniciou uma cruzada política – administrativa para destruir a imagem da gestão municipal de sua antecessora à frente da prefeitura de Fortaleza. O PSB e o PMDB já mobilizaram os seus principais quadros na sociedade civil, para essa mobilização contra a atual presidente do Partido dos Trabalhadores, e usando como mecanismo para esse linchamento público, os meios de comunicações tradicionais (TV, Rádio, Jornal), com repercussão nas mídias sociais (Facebook, Twitter, etc..). A desvalorização da liderança de Luizianne Lins terá um efeito negativo para a própria imagem do Partido dos Trabalhadores, com a diminuição do seu papel político no pleito eleitoral de 2014, para o Governo estadual.


quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Domingos Filho e o seu dilema no PMDB do Ceará



O vice – governador Domingos Filho (PMDB) está num processo de permanecer em silêncio quando é questionado por seus correligionários sobre o seu futuro político no pleito eleitoral de 2014. A sua agremiação partidária, o PMDB, já tem um pré – candidato natural para o Governo estadual, esse seria o senador Eunício Oliveira (PMDB), já com respaldo da Direção Nacional.

Domingos Filho precisa montar uma estratégia interna no PMDB do Ceará; só que não há espaço para um debate público nos órgãos competentes do partido. O presidente estadual, o ex – ministro Eunício Oliveira, já mantém o controle do PMDB há quase quinze anos, esse fato, poderá ser crucial para eliminar qualquer outra pré – candidatura, numa hipotética prévia interna.

O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa em entrevista na FM Universitária 107,9 ( http://www.radiouniversitariafm.com.br/) - Fortaleza - Ceará. (09/01)

O senador Eunício Oliveira (PMDB) começa a fazer uma série de diálogos com os partidos aliados do condomínio político – administrativo do governador Cid Gomes, com o desejo de ser o candidato ungido dessa frente partidária, por isso não há previsão de se fazer uma consulta interna entre os peemedebistas, para saber quem seria o pré- candidato.

O governador Cid Gomes não tem interesse em entrar em rota de colisão, com o senador Eunício Oliveira (PMDB), em função de alguma pré – candidatura do seu próprio partido (PSB).O PMDB somente trabalha na hipótese de suceder o atual chefe do governo estadual, sem risco de um confronto de pré-candidatos.


  

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Não há oposição midiática ao prefeito Roberto Cláudio


O prefeito Roberto Cláudio (PSB) começa a impor um estilo de liderança carismática na sua marca política como gestor público. O dialogo diário do chefe do executivo da Prefeitura de Fortaleza com a imprensa cearense, sem dúvida o modelo clássico do líder comunicativo com o seu eleitor – cidadão.

Roberto Cláudio ( PSB ) não enfrentará uma oposição organizada na sociedade civil, no inicio do seu governo, portanto não veremos  a mesma com representação significativa nas mídias sociais ( Facebook, Twitter, outros...).

A diretora - executiva da TV União, a jornalista Ana Villa Real, com o consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa. (08/01)

O principal foco de oposição na área midiática poderá vir do deputado estadual Heitor Férrer (PDT), pois os ataques ao governador Cid Gomes (PSB) no púlpito da Assembleia Legislativa do Ceará, com certeza causariam um efeito cascata em relação ao prefeito Roberto Cláudio (PSB).

A bancada parlamentar municipal do Partido Socialista e Liberdade tem condição de fazer uma oposição na Câmara de Fortaleza, com repercussão nos meios de comunicação tradicionais (Televisão, Rádio, Jornal), pois o seu único problema, é, o posicionamento similar na área parlamentar dos vereadores petistas, isso causa uma confusão entre os eleitores da classe média, com tendência a fazer uma frente oposicionista na sociedade civil, no espaço público das mídias sociais.


O programa A Verdade na TV União

Na noite dessa terça - feira participo do Programa " A Verdade " na TV União. No horário das 19:00 horas até 20:00 horas. Tema – A posse do prefeito Roberto Cláudio – Avaliação dos seus primeiros dias.

Acompanhe também a nossa entrevista em tempo real pelo site: http://www.redeuniao.com.br/site/




TV União canal 17
HD - 17.1
Net - 21





segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

O PT e a reconquista do seu papel principal no pós - Cid Gomes (PSB)


O Partido dos Trabalhadores procura se estruturar após um período como principal parceiro político do governador Cid Gomes (PSB), pois nas últimas eleições sempre foi o principal fiador numa tríplice aliança entre os seguintes partidos: PT – PSB – PMDB. O PT sofre de isolamento forçado depois do embate eleitoral do segundo – turno da Prefeitura de Fortaleza, sem encontrar caminho de retorno para ser o principal parceiro do PSB, esse espaço já foi conquistado pelo PMDB.

O governador Cid Gomes (PSB) tem relação direta com o Planalto, sem precisar do aval do Partido dos Trabalhadores, como principal aliado da reeleição da presidente Dilma Rousseff dentro das fileiras do Partido Socialista Brasileiro. Os socialistas cearenses já diminuíram o capital político dos petistas após a conquista da maior cidade do estado.



O deputado federal José Nobre Guimarães (PT) trabalha na reconstrução do papel do Partido dos Trabalhadores como o principal parceiro administrativo e aliado político do Partido Socialista Brasileiro, esse processo não tem resistência interna na direção estadual do partido do ex – presidente Luis Inácio Lula da Silva.

O senador Eunício Oliveira (PMDB) conquista o papel de principal parceiro político – administrativo do governador Cid Gomes (PSB). O PMDB tem compreensão que será o principal beneficiado com esse papel de herdeiro quase natural do PSB à frente do Governo estadual.

O PT necessita evitar a conclusão dessa troca de bastão do PSB para o PMDB no pleito eleitoral de 2014, pois a indicação de um peemedebista como principal posto da chapa majoritária ao Governo do Estado do Ceará, com certeza será transformar o PT numa simples força auxiliar do condomínio político – administrativo no pós – Cid Gomes (PSB).


domingo, 6 de janeiro de 2013

O PT e o PSOL numa aliança circunstancial na Câmara Municipal de Fortaleza


O prefeito Roberto Cláudio (PSB) tem uma base aliada na Câmara Municipal de Fortaleza, com algo em torno de 36 vereadores, por outro lado a oposição seria composta por sete parlamentares.

Após o termino do segundo turno do pleito eleitoral de Fortaleza, a maioria dos partidos (PSC – PV – PTN – PT do B – PSDB – DEM - PDT) das outras coligações derrotadas, já optaram pela adesão ao núcleo político – administrativo da Prefeitura de Fortaleza, na constituição da Mesa Diretora da Câmara Municipal sob a presidência do Vereador Walter Cavalcante (PMDB) no biênio de 2013 - 2014.

O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa

A bancada de vereadores do Partido dos Trabalhadores já entrou num processo de isolamento em relação aos antigos aliados, não conseguindo atrair os três vereadores do Partido da República para formação de um bloco oposicionista na Câmara Municipal de Fortaleza. Os parlamentares municipais do PR fizeram a opção de ser independente em relação à presidência do vereador Walter Cavalcante (PMDB), num posicionamento de oposição parlamentar ao prefeito Roberto Cláudio, por influência da sua cúpula partidária estadual.

A bancada parlamentar do Partido Socialista e Liberdade com dois representantes, com um capital político de 160 mil votos obtidos pelo seu ex – candidato a prefeito de Fortaleza, o advogado Renato Roseno, no primeiro turno, já planejava fazer uma oposição isolada, sem alianças com outras bancadas na Câmara Municipal de Fortaleza.

O Partido dos Trabalhadores caminha na direção de uma aliança forçada de realinhamento oposicionista com os vereadores João Alfredo e a Toinha Rocha do PSOL. Os vereadores petistas sem apoio da bancada do PR, com a rejeição natural dos parlamentares municipais do PSOL, não terão no primeiro momento um posicionamento de lideres naturais da oposição ao prefeito Roberto Cláudio (PSB) nos próximos quatro anos (2013 – 2016).  


quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Roberto Cláudio e o sucesso da negociação política com os Partidos e Entidades de Classes


O prefeito Roberto Cláudio renega qualquer tentativa de fazer política institucional ao estilo fisiológico, nas instituições públicas da prefeitura de Fortaleza. O modelo de negociação do chefe do executivo municipal apenas repete o modelo operacional do governador Cid Gomes (PSB), onde as negociações são feitas com os partidos e as entidades de classes (CIC – FIEC – CDL), sem muito espaço para uma agenda de negociações individuais ou negociações no varejo do mercado político - social.

Roberto Cláudio no primeiro momento já acomodou os interesses dos dirigentes partidários, pois fez uma série de negociações com as cúpulas dessas agremiações em relação às indicações do primeiro escalão da gestão municipal de Fortaleza. Os representantes dos setores produtivos e do sistema financeiro de nossa capital, sem dúvida receberam o mesmo tratamento dos lideres dos partidos aliados. Temos então o fim da primeira etapa de acomodação desses grupos sociais na máquina administrativa da Prefeitura de Fortaleza.

O consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa e o jornalista César Espindola. No estúdio da TV União - Fortaleza - Ceará. (01/01/2013)

Nos últimos dias já tivemos vários ex – aliados da anterior administração municipal em processo de adesão ao atual prefeito de Fortaleza. O excesso de aliados que são em sua maioria acostumados as negociações individuais em detrimentos dos partidos e das entidades de classes. A nova Secretária de Governo ainda não tem uma política bem definida para debelar esses grupos de pressões do seio da administração pública de Fortaleza, pois quase toda nova cúpula dessa autarquia vem da experiência do Governo estadual.

O presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, o vereador Walter Cavalcante (PMDB) terá uma enorme dificuldade de contenção das demandas políticas na área administrativa do município, em função do gigantismo da base de apoio no legislativo municipal. O novo líder do governo do prefeito Roberto Cláudio (PSB), o vereador Evaldo Lima (PC do B), sem dúvida será a principal peça pedagógica do novo modelo operacional da Secretária de Governo, surge a primeira liderança robertista na política municipal de Fortaleza. 


A parceria na área de comunicação da Câmara Municipal de Fortaleza entre o vereador Walter Cavalcante e o senador Eunício Oliveira.


A reestruturação da imagem da Câmara Municipal de Fortaleza após um período de parceria administrativa – política (2005 – 2012) com antiga gestão pública da prefeita Luzianne Lins (PT).

O presidente Walter Cavalcante (PMDB) com experiência de quase vinte anos de assento no legislativo municipal, já foi buscar em seu principal aliado estadual uma parceria na área de telecomunicações, com o gabinete do senador Eunício Olíveira (PMDB), de onde saiu a indicação do seu  assessor na área de comunicação, o jornalista Davi Uchoa.

Gravação para o Jornal União Brasil - Tv União - No horário das 18:00 até 18:30. Tema: As perspectivas sobre o início de governo do prefeito Roberto Cláudio. (01/01/13)

O coordenador de comunicação Davi Uchoa será o responsável por esse espólio midiático da Casa do Povo, onde existe uma poderosa estrutura de veículos de comunicações: TV Fortaleza, Rádio FM (93,5), WebTV. O poder de influência dos meios de comunicação da Câmara Municipal de Fortaleza na opinião pública do fortalezense, nesses próximos dois anos, como um grande catalisador do debate das políticas públicas numa visão da macropolítica: Local, Estadual, Federal.

A linguagem midiática ainda deverá ser voltada aos interesses das sessões parlamentares e das audiências públicas da Câmara Municipal de Fortaleza, por outro lado ainda sobrará muito espaço de atuação na grade para reforçar a imagem pública do presidente Walter Cavalcante, num momento posterior, poderá haver uma discussão das políticas públicas comuns entre o Governo Estadual e a União, com uma participação atuante do senador Eunício Oliveira (PMDB).