terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Dima Roussef e a negociação direta com Eduardo Campos


Presidente nacional do PSB, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, informou por meio de sua assessoria que o partido deverá apoiar a candidatura do petista Fernando Haddad para a Prefeitura de São Paulo. 

Ontem, Campos jantou com a presidente Dilma Rousseff e, antes, telefonou para integrantes do PSB de São Paulo convocando-os para reunião amanhã em que anunciará sua preferência.

A simples passagem da chefa do executivo do Governo Federal em terras pernambucanas refez o mapa político da cidade de São Paulo.

Eduardo Campos negocia diretamente com o Planalto, sem intermediação ou mediação de nenhum outro agente político na agremiação partidária socialista. O PSB nacional caminha para um acordo político sem consultar o governador Cid Gomes.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Dilma Rousseff e os protestos em solo cearense





Em visita ao Ceará, a presidenta Dilma Rousseff conseguiu colocar no mesmo palanque o governador Cid Gomes (PSB), a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), e, ainda o senador José Pimentel (PT-CE).

Recentemente, governador e senador trocaram farpas, o que foi interpretado por Cid como uma “declaração de guerra”, e a aliança entre os dois partidos foi colocada em xeque mais uma vez no Estado do Ceará.

Dilma Rousseff não permitiu o debate regional sobre a manutenção da aliança PSB com o PT, a mesma impôs agenda nacional da viagem. A presidente sentiu o momento nada agradável quando a platéia hostilizou o chefe do executivo estadual.

Apesar de todo aparato midiático pró-Cid Gomes, a sua imagem saiu arranhada perante opinião pública. O cidismo não passa por um bom momento político, que tem reflexo na sua popularidade.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

A entrevista do consultor político Luiz Cláudio Barbosa na FM Cultura 87.9



Agradeço o convite da equipe da FM Cultura 87.9, na pessoa do comentarista político: Herlito Freire. A entrevista será na noite desse domingo (26/02), no horário das 19 horas até as 21 horas. O Tema: A conjuntura Política do Ceará – Fortaleza.

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Cid Gomes não rompimento com o Planalto




O governador Cid Gomes não tem coragem de romper com o Planalto. A governabilidade do executivo estadual é dependente do apoio da presidente, Dilma Rousseff, e das forças auxiliares aos interesses políticos do Governo federal.

Cid Gomes no seu calendário político – administrativo esperava defrontar com esse dilema de rompimento com o partido dos Trabalhadores somente no segundo semestre de 2013. Antecipação desse dilema sem solução em curto prazo; não tem solução dentro do grupo do ex-deputado Ciro Gomes que deseja o rompimento pelo ostracismo a nível nacional nos corredores do Palácio do Planalto.

A popularidade sem precedente do governo de Dilma Rousseff entre os cearenses e, o maior capital político – eleitoral do Partido dos Trabalhadores no Ceará. A executiva estadual do Partido Socialista Brasileiro compreende esse excesso de força eleitoral do Planalto – Lula – Dilma no eleitorado cearense, sem saída: os socialistas vão necessitar da aliança com o Governo federal.  

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

José Nobre Guimarães e o petismo cidista

O deputado federal, José Nobre Guimarães, reuniu o “Campo Democrático” para o lançamento da pré-candidatura do secretário, Camilo Santana, para prefeito de Fortaleza.

O encontro dessa noite da maior corrente petista no estado do Ceará foi apenas ato público para reforçar a antiga aliança com o governador, Cid Gomes.  

O vice – líder da bancada petista na Câmara Federal mantém o discurso de conciliação da frente popular (PMDB-PSB-PT-PC do B) para o pleito eleitoral de Fortaleza.

O parlamentar cearense demonstra ser fiel ao condomínio político – administrativo do Governo estadual, num movimento singular em direção a manutenção do bloco partidário cidista-dilmista até as eleições de 2014. O sonho de participar da chapa majoritária: Governador; Vice – Governador; Senador.

O deputado estadual Heitor Férrer e a Ficha Limpa

O deputado estadual Heitor Férrer tem sintonia com opinião pública cearense. A sua nova bandeira parlamentar tem apoio entre os setores organizados da sociedade civil. A luta pela implantação do Ficha Limpa como Lei Estadual para moralização das indicações dos cargos públicos.
Heitor Férrer tem compreensão da pressão social por parte dos setores organizados da população cearense contra corrupção e o nepotismo nas instituições públicas do Governo do Estado. A sua capacidade impar de dialogar com eleitor – cidadão da classe média. O parlamentar estadual constrói um consenso como homem público coerente nas suas bandeiras políticas, perante a opinião pública dos estratos sociais da população fortalezense.
O pré – candidato brizolista pedetista tem comunicação direta com os formadores (twitter, Facebook) e os fomentadores (TV, Rádio, Internet) na esfera social privada do debate público da sucessão municipal de Fortaleza. A sedimentação de uma base política – social não ligada a nenhum partido ou coligação partidária, com o seu próprio capital político junto à classe média.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Agenda de Dilma Rousseff no Ceará

Aguardada em Fortaleza, desde o início do mês, quando no dia 7 teve a visita cancelada em decorrência de problemas de saúde da mãe, a presidente da República, Dilma Rousseff, confirmou presença na cidade, na próxima segunda-feira, dia 27.


Além da Capital cearense, Dilma visitará as cidades de Maracanaú e Caucaia. A programação da presidente ainda não foi fornecida pelo Palácio do Planalto, mas, conforme antecipou o governador Cid Gomes, na semana passada, ela visitará obras da Linha Sul do Metrofor, devendo circular no trem - ainda em fase de testes, - entre as estações Virgílio Távora e Raquel de Queiroz.

Atualmente, esta linha está com 95% das obras concluídas, mas ainda aguarda a chegada de mais 16 trens até o fim de 2012, para que possa entrar em operação definitiva no ano que vem.


Fonte:  Diário do Nordeste, Caderno Negócios.

A sobrevivência da aliança PT - Cid Gomes

O final do período carnavalesco nos traz o seguinte debate público: a sobrevivência da aliança do Partido dos Trabalhadores com os Ferreiras Gomes. A sensação do fim desse acordo político – administrativo fica latente nas crônicas políticas dos principais jornais cearenses.

O senador José Pimentel foi responsável pela exposição dos dilemas e as fragilidades desse rearranjo eleitoral. O corte epistemológico foi dado por Brasília quando fez o questionamento dos recursos do Governo federal nos projetos do PAC no Ceará.

O governador Cid Gomes não concorda com as críticas do líder do Congresso sobre a sua gestão pública. O confronto de idéias não é permitido dentro do bloco governista estadual (PMDB-PSB-PT-PC do B). O cidismo não sobrevive sem apoio do lulismo – dilmista, isso é fato consolidado na política regional.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

PSD como satélite dos interesses petistas

PT e PSD têm entendimentos avançados em ao menos duas capitais brasileiras para a realização de alianças. Provavelmente caminharão juntos em Salvador (BA) e Aracaju (SE), casos que o próprio prefeito Gilberto Kassab elencou em visita a Brasília na última semana.
Em Salvador o PSD deve compor a chapa encabeçada pelo deputado Nelson Pellegrino (PT), e em Aracaju deverá apoiar um dos dois petistas que postulam a candidatura: a deputa estadual Ana Lúcia e o secretário municipal de Saúde, Sílvio Santos. Caso não haja acordo, a tendência é que ocorram prévias. Os dois partidos também conversam sobre acordos em Campo Grande (MS), Fortaleza (CE), São Luís (MA) e Recife (PE). Há ainda diálogo por composições em cidades como Feira de Santana (BA), Juazeiro do Norte (CE) e Petrolina (PE).

domingo, 19 de fevereiro de 2012

O Partido Trabalhista Cristão e o Cid Gomes

O vereador Marcelo Mendes começa a conceituar o debate político na Câmara Municipal de Fortaleza, não somente como agente social da oposição parlamentar fortalezense e, agora como provável aliado do governador Cid Gomes.
O Partido Trabalhista Cristão na eleição de 2010 fez parte da coligação partidária que reelegeu o governador, Cid Gomes. O presidente estadual, Marcelo Mendes, nunca refutou essa aliança com o Governo estadual, como também não estreitou os laços com o Palácio da Abolição.
No discurso da última quinta – feira no púlpito da Câmara Municipal de Fortaleza, o vereador trabalhista cristão reinicia nova página na política - administrativa do PTC como membro da base aliada do governador, Cid Gomes. 

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

José Pimentel e a negação do consenso

José Pimentel e a negação do consenso

O senador José Pimentel (PT) representa ruptura no consenso em torno do governador, Cid Gomes. O guarda – chuva partidário de apoio ao Governo estadual é uma fotocópia base aliada dilmista - lulista no Congresso. Não existia ameaça real ao domínio dos Ferreiras Gomes no espectro político - administrativo no Ceará. 

O chefe do executivo do Governo estadual, Cid Gomes, tem tradição política – eleitoral de aliança com o Partido dos Trabalhadores no período ou época lulista (2003 -2010) na presidência da República. O cidismo tem origem no campo político e administrativo da Era Tasso Jereissati (1987 – 2006). Numa espécie de subconjunto do grupo familiar sobre a liderança, Ciro Gomes, o principal aliado do tassismo

O beneficio dessa permuta entre o cidismo e o lulismo foi rearranjo político – eleitoral hegemônico na política local com duração de quase uma década. A tendência seria o embate interno entre as forças dessa coligação partidária (PT-PSB-PMDB), somente no pleito eleitoral para o Governo do Estado em 2014. Nas últimas quarenta oito horas o processo aliancista entre o PT e o PSB – cidista entrou numa crise sem saída. O pivô desse rearranjo de forças é o José Pimentel.

Oposição parlamentar fortalezense agora é cidista.




A discussão acalorada no Plenário da Câmara Municipal  de Fortaleza que foi alimentado pelo embate entre o senador José Pimentel, e o governador Cid Gomes, nas reportagens  de capas dos último dois dias do Jornal Diário do Nordeste. Na manhã dessa quinta – feira.

O vereador Marcelo Mendes saiu em defesa da coerência do discurso do governador, Cid Gomes, em relação às críticas do senador José Pimentel, referente aos recursos do PAC que é administrado pelo Governo do Estado. O fórum do debate na Casa do Povo fortalezense e a discussão midiática entre os dois principais líderes da coligação (PMDB-PT-PSB) ou condomínio partidário cidista – petista - peemedebista.

Oposição parlamentar ao executivo municipal de Fortaleza saiu em defesa do governador Cid Gomes. Os vereadores Vitor Valin (PMDB) e Marcelo Mendes (PTC) os novos portas – vozes do cidismo em Fortaleza. No caminho inverso foi o líder do Partido dos Trabalhadores, o vereador Guilherme Sampaio, na defesa do discurso crítico do senador José Pimentel. Os vereadores oposicionistas caminham em direção ao Palácio da Abolição numa espécie de contraponto Paço Municipal. 

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Marcelo Mendes sinônimo de coragem




A entrevista do presidente estadual do Partido Trabalhista Cristão, Marcelo Mendes, na rádio AM – Opovo - CBN no programa Debates do Opovo. O jovem parlamentar demonstra tem o “Don” da oratória. A sua pré-candidatura é fato nas suas ações concretas para construção de sua imagem de político independente. 

O jovem empresário e parlamentar municipal, Marcelo Mendes, não aparenta medo para enfrentar o bloco cidista – petista no pleito eleitoral de Fortaleza. 

O espaço vazio de uma liderança com perfil de gestor público aos poucos é ocupado por esse político dinâmico.

O vereador Marcelo Mendes tem ainda longo caminho pela frente. O seu nome será sem dúvida colocada na mesa de negociação entre as frentes de oposições: o cidismo não petista (PP-PRTB-PTC), e o anti-cidismo (PR-PSDB-PPS-DEM).

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Oposição fortalezense e os conflitos trabalhistas na Prefeitura de Fortaleza.




O vereador Marcelo Mendes (PTC)  durante a sessão da manhã dessa terça – feria na Câmara Municipal de Fortaleza.

O parlamentar trabalhista cristão defende o diálogo entre o legislativo municipal e os movimentos de grevismos, sem prejuízo a população fortalezense.

Oposição aproveita o espaço midiático para apresentar uma solução aos impasses (conflitos trabalhistas) entre o executivo municipal e os funcionários públicos.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Agenda curta do PT em relação o Cid Gomes




A direção estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) realizou, ontem, em Fortaleza, um encontro com a participação dos presidentes de diretórios e comissões provisórias municipais. A reunião foi para fazer uma avaliação do quadro político em cada cidade porque até 30 de março o partido terá que definir onde vai ter candidato a prefeito. No caso especifico da cidade de Fortaleza, esse calendário é curto, o do governador Cid Gomes se encerra em maio.

A prefeita de Fortaleza e presidente do partido, Luizianne Lins, chegou após o início do evento. Ela manifestou otimismo quanto à preparação da legenda para a disputa das eleições deste ano porque pela primeira vez, na sua história, o PT está organizada nos 184 municípios cearenses.

Do encontro de ontem participaram representantes de 55 municípios e as principais lideranças estaduais da agremiação, como a prefeita Luizianne Lins, o senador José Pimentel, os deputados federais José Guimarães, Artur Bruno e José Airton. Este foi o segundo encontro de presidentes municipais. O primeiro foi em setembro de 2011.

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Opinião pública e a aliança PT - PSB - PMDB





Opinião pública cearense já acredita no rompimento de interesses políticos entre o governador Cid Gomes e a prefeita Luzianne Lins. Durante essa semana foi desgastante os embates sobre a parceria administrativa entre o Estado e a Prefeitura Municipal de Fortaleza.

O PMDB através do seu presidente estadual, Eunicio de Oliveira, não aceita o papel secundário na aliança com seus pares (PSB-PT) no condomínio administrativo dilmista – cidista. O diretório municipal dessa agremiação tem dificuldade de realinhar com os antigos parceiros. O pensamento dominante entre os filiados  é de candidatura própria.

O PT cearense não tem uma candidatura de consenso com poder de competitividade. O tempo é escasso para resolver esse dilema. O Planalto e a executiva nacional do Partido dos Trabalhadores já preparam uma alternativa construída por Brasília. 

Opinião pública e a aliança PT - PSB - PMDB




Opinião pública cearense já acredita no rompimento de interesses políticos entre o governador Cid Gomes e a prefeita Luzianne Lins. Durante essa semana foi desgastante os embates sobre a parceria administrativa entre o Estado e a Prefeitura Municipal de Fortaleza.

O PMDB através do seu presidente estadual, Eunicio de Oliveira, não aceita o papel secundário na aliança com seus pares (PSB-PT) no condomínio administrativo dilmista – cidista. O diretório municipal dessa agremiação tem dificuldade de realinhar com os antigos parceiros. O pensamento dominante entre os filiados  é de candidatura própria.

O PT cearense não tem uma candidatura de consenso com poder de competitividade. O tempo é escasso para resolver esse dilema. O Planalto e a executiva nacional do Partido dos Trabalhadores já preparam uma alternativa construída por Brasília. 

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

O governador Cid Gomes começa o início do fim do seu governo

A vaga de conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), indicada pela Assembleia Legislativa, não será ocupada por um parlamentar nem por um ex-deputado. A Casa aprovou, ontem, por 37 votos favoráveis e uma abstenção, o nome do advogado Hélio Parente, para assumir a vaga deixada pelo ex-conselheiro Luiz Sérgio Gadelha. Um total de 41 deputados apresentou, ontem mesmo, o nome do advogado que é servidor do Poder Legislativo.

O primeiro nome cotado para ocupar essa vaga foi o do deputado Welington Landim (PSB), ainda no início desta legislatura.

O governador Cid Gomes começa o início do fim do seu governo. O primeiro passo foi indicação do advogado Hélio Parente como guardião das contas dos seus aliados. A manutenção de uma certa influência após saída do poder executivo. O cidismo com perspectivas nada animadoras quando estive fora do circulo poder local e federal.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Entrevista para Fátima Catunda - Programa do Antônio Viana



Entrevista para Fátima Catunda no Programa do Antônio Viana. Realizado no recinto da Assembléia Legislativa do Ceará. O tema: Opinião Pública e o Pleito Eleitoral.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

O PSDB do Ceará e a sua crise de identidade

Antes de iniciar a campanha para as eleições municipais, o PSDB do Ceará quer saber quanto prejuízo acumulou nos últimos anos no Estado. Fora do governo de Cid Gomes (PSB) desde 2010, e com a chegada do PSD, o partido perdeu parlamentares, prefeitos e boa parte de sua militância.

Agora, a direção tucana planeja realizar um recadastramento de seus filiados para contabilizar essas perdas.

O PSDB cearense perdeu quatro de sete deputados estaduais, um de dois federais e 26 das 54 prefeituras que tinha, restando 28. O principal algoz dos tucanos foi o PSD, que chegou ao Ceará acomodando aqueles que não queriam deixar a base de apoio de Cid Gomes.

Oposição engrandece à pré-candidatura do Acrísio Sena




Na manhã dessa quarta – feira o Partido Trabalhista Cristão do Ceará na pessoa do seu presidente estadual, Marcelo Mendes, faz o discurso de elogio ao chefe do poder legislativo (Câmara Municipal de Fortaleza), o vereador Acrísio Sena, e a sua pré-candidatura para prefeito de Fortaleza.

O PTC ainda se mantém na oposição à prefeita, Luzianne Lins, e a sua atual gestão administrativa. A grande novidade foi o elogio a postulação do vereador Acrisio Sena como candidato da situação ou bloco governista, mas foi feito pela oposição. É o amadurecimento do debate político na casa legislativa municipal. 

O petismo cearense em segundo plano para o lulismo - dilmist



O petismo cearense em segundo plano para o lulismo - dilmista

O PT continua pagando a conta da candidatura de Fernando Haddad à prefeitura de São Paulo, patrocinada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Com o pedido expresso de Lula, a bancada de 89 deputados petistas elegeu ontem o paulista Jilmar Tatto seu novo líder na Câmara, e, com isso, o ex-presidente sela o apoio do grupo de Tatto à campanha de Haddad. Em nome da unidade, José Guimarães (PT-CE), que disputava com Tatto, aceitou o acordo proposto de liderar a bancada em 2013.

A maioria dos analistas políticos de plantão na cidade de Brasília não aceita outra versão sobre a vitória dos interesses da bancada petista paulista sobre o restante dos parlamentares não paulistas. O lulismo não é somente paulista.

Essa derrota do parlamentar cearense tem o significado especial para o PT do Ceará, pois, não faz parte dos interesses do Planalto e do staff do ex – presidente, Luis Inácio Lula da Silva. 

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

O desmantelamento do núcleo grevista da policia na Bahia




As forças federais de segurança prenderam na tarde desta terça-feira o presidente da Associação dos Policiais Militares da Bahia (Aspol), sargento Elias Alves de Santana. As tropas estão no Estado a pedido do governador Jaques Wagner (PT) para garantir a ordem durante a greve da Polícia Militar.
O sargento Elias foi detido na localidade na Jauá, na região metropolitana de Salvador. Ele é um dos 12 nomes com mandado de prisão expedido pela Justiça Federal devido à paralisação. Um dos líderes do movimento grevista, o PM foi levado para o Grupamento Aéreo da Polícia Militar (Graer) da Bahia, situado no Aeroporto de Salvador.
Da relação de grevistas procurados pela força nacional, além de Elias, o soldado Alvin dos Santos Silva, lotado na Companhia de Policiamento de Proteção Ambiental (Coppa), já havia sido detido no início da greve.

Heitor Férrer e os dilemas dos cidistas no PDT



O deputado estadual Heitor Férrer  caminha para o isolamento de sua pré-candidatura. A demora de uma resolução interna no PDT, apenas afastará os prováveis aliados (PP – PR).

O presidente regional do PDT, o deputado federal André Figueiredo, somente dissemina as incertezas sobre o principal nome de oposição ao bloco político - administrativo do governador Cid Gomes.

Não haverá tempo para construir bloco de oposição fora do eixo de ação do governador Cid Gomes. O PDT não sairá da administração pública estadual. Sem esse rompimento, o discurso do deputado Heitor Férrer será apenas peça imaginária.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Greve da PM gera crise na Bahia

A duas semanas do Carnaval, a Bahia sofreu nesta segunda-feira pelo sexto dia seguido uma crise gerada pela greve de policiais militares que tem sido marcada por um grande número de homicídios no período, 94 desde a última terça-feira.
Mais de 3 mil tropas federais foram mobilizadas para tentar sufocar o protesto e garantir a segurança da população e dos milhares de turistas esperados para passar o Carnaval no Estado.
Os grevistas ocuparam a sede da Assembleia Legislativa e o local foi cercado por 1.000 homens do Exército, que entraram em confronto com manifestantes que tentaram entrar no local nesta segunda.
Membros das Forças Armadas usaram balas de borracha e bombas de gás para dispersar os manifestantes, que queriam se juntar a cerca de 200 policiais militares e seus familiares que ocuparam a Assembleia estadual.
O governo do Estado diz que está negociando com os grevistas, que, liderados pela Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), pedem reajuste salarial, aumento das gratificações e anistia aos participantes da paralisação.

Não vou dar anistia nem negociar com PM bandido

O governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), disse ontem que os métodos usados por uma parte dos grevistas da Polícia Militar do Estado são “coisa de bandido”. O petista se referia ao uso de armas para tomar ônibus e bloquear vias e também atribuiu à parte dos policiais do movimento alguns do assassinatos nos últimos dias.
O governador negou ter sido omisso no episódio da deflagração da greve de PMs que gerou uma onda de mortes e de saques em Salvador. Wagner, que acompanhava a presidente Dilma Rousseff em viagem a Cuba quando a paralisação estourou, admitiu que o governo foi surpreendido pelo tamanho do movimento grevista.
O governador afirmou que a greve na Bahia está sendo orquestrada nacionalmente para pressionar a aprovação da PEC-300, a proposta de emenda constitucional que cria um piso nacional para os policiais. Ex-sindicalista, o petista disse que não vai oferecer nenhum aumento além dos 6,5% já dados ao funcionalismo em 2012 e é contra anistia a policiais envolvidos em atos de vandalismo.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

O encontro do Chiquinho Feitosa com José Agripino



O encontro do Chiquinho Feitosa com José Agripino 

O DEM, um dos principais partidos de oposição do país, vai se reunir na segunda-feira (6) em São Paulo para debater a estratégia do partido para as eleições municipais de outubro. O encontro deverá contar com a participação dos pré-candidatos da legenda a prefeituras e câmaras municipais de todo o país. 

O presidente do DEM, senador José Agripino (RN), disse que o objetivo da reunião de segunda é “mostrar a dimensão de um partido que é movido por ideias e que tem coragem de defendê-las”.

Além de Agripino, devem participar do encontro lideranças como o ex-prefeito do Rio de Janeiro Cesar Maia, os líderes do DEM no Senado, Demóstenes Torres (GO), e na Câmara ACM Neto (BA), e o presidente da Fundação Liberdade e Cidadania, José Carlos Aleluia. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, foi convidado.

O presidente da secção cearense da agremiação partidária, Chiquinho Feitosa, deve ter sido convidado para essa reunião. O DEM não aceitará que sua sucursal cearense seja satélite do governador Cid Gomes. A comunicação do pacote eleitoral para região do Nordeste, sem consulta ao diretório estadual do Ceará, apenas ao ex-deputado federal Moroni Torgan que se encontra na cidade de Lisboa. 

sábado, 4 de fevereiro de 2012

O acordo eleitoral entre Tasso Jereissati e o Moroni Torgan




O anúncio oficial de aliança por parte dos presidentes nacionais do PSDB e do DEM em quatro grandes capitais do Nordeste, como Aracaju, Fortaleza, Natal e Salvador, acabou por movimentar a articulação das oposições na capital cearense. Informações dão conta de que o apoio em torno da pré-candidatura do ex-deputado Moroni Torgan, que não perde a oportunidade de propagar esse desejo, era a principal reivindicação do partido para destravar acertos em outros locais, inclusive São Paulo.

Embora em nota, o deputado Sérgio Guerra, presidente do PSDB e o senador Agripino Maia, presidente do DEM, tenham afirmado que a decisão pela aliança não se deu em torno de nomes, líderes das duas legendas admitem que os tucanos deverão ceder a cabeça de chapa para Moroni Torgan em Fortaleza, o pré-candidato tem enorme densidade eleitoral, de modo a facilitar as demais negociações. A negociação tem o eixo Fortaleza - Lisboa entre o ex-senador Tasso Jereissati e o ex-deputado Moroni Torgan.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Tasso Jereissati e Moroni Torgan unidos por Brasília

A construção do bloco partidário DEM com o PSDB para o pleito eleitoral de Fortaleza. É, fruto de um acordo entre às cúpulas partidárias das oposições em Brasília.

O ex- senador Tasso Jereissati sairá do ostracismo político nos próximos dias, como responsável pela liderança dessa frente partidária de oposição ao executivo municipal de Fortaleza. Setores da sociedade civil com perfil conservador – liberal que vão aderir a esse bloco. Esse fato cria perspectiva eleitoral no primeiro momento: algo em torno de 25 % do eleitorado fortalezense.

O ex-deputado estadual Marcos Cals (PSDB) será o articulador político entre os partidos (PSDB-DEM-PPS-PR-PTC) que não faz parte da base governista da prefeita, Luzianne Lins.

O ex-deputado federal Moroni Torgan tem recall eleitoral das últimas campanhas para Prefeito de Fortaleza. O rosto conhecido entre os setores populares da Sociedade Civil, e da opinião pública conservadora com influência nas “redes sociais”.