domingo, 15 de janeiro de 2017

Rodrigo Cardoso descanse em Paz – Viveu para a Política



O jovem Rodrigo Cardoso sempre teve pressa para viver. O mesmo vivia o dia vigente, como fosse o último da sua vida. Eu sempre dizia para ter mais calma, para diminuir o seu ritmo intenso dentro do mundo da política cearense. A ética da convicção era o principal motor intelectual do jovem Rodrigo Cardoso, pois a política sempre foi a sua maior paixão, em vida. 

A convivência social, com o militante Rodrigo Cardoso, nunca era muito fácil. Rodrigo Cardoso tinha a certeza de suas convicções, como o devoto tem fé no milagre. Eu sempre tentava pausar seu discurso, com paciência e certo estilo professoral; porém no meu intimo admirava aquela força intensa na defesa de suas ideias.

O modelo de homem público ou trajetória política do ex-governador Ciro Gomes (PDT), sem dúvida influenciou os últimos anos do militante cirista-cidista, Rodrigo Cardoso, na sua vida acadêmica, social, partidária e familiar. Rodrigo Cardoso tinha como amigos mais íntimos, os simpatizantes dos irmãos Ferreira Gomes (Ciro-Cid-Ivo-Lia), por isso convivia nas cúpulas de influência da família (Ferreira Gomes).

Eu sempre dizia que o jovem Rodrigo Cardoso ainda seria um grande analista da política cearense. No meu debate com o mesmo, eu sempre afirmava que na idade dele, eu também era impulsivo, encantado com o fervor das ideias, mas fiquei tranquilo ou neutro, com o passar dos anos, o que é necessário nas construções das minhas analises políticas. O tempo não deu ao jovem Rodrigo Cardoso, a chance desse amadurecimento de suas convicções. Fica para todos nós a bela lembrança desse rapaz que acreditava no que dizia e praticava no mundo da política cearense.

Luiz Cláudio Ferreira Barbosa, sociólogo e consultor político
Fortaleza, 15 de Janeiro de 2017



quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Roberto Cláudio e a aliança política-institucional com Roberto Freire e Alexandre Pereira



O prefeito Roberto Cláudio (PDT) manteve agenda de contatos na Esplanada dos Ministérios, nesta quarta-feira (11/01): Ministério da Cultura e o Ministério do Turismo. Roberto Cláudio aproveitou a viagem, para reforçar a aliança política-administrativa, com o ministro do Turismo e com o presidente do diretório nacional do Partido Popular Socialista, o deputado licenciado Roberto Freire (SP), que é o maior aliado da Prefeitura de Fortaleza na cidade de Brasília.

O ministro Roberto Freire (PPS) sempre chancelou a participação do PPS no primeiro escalão, durante o primeiro mandato (2013-2016) e do novo mandato (2017-2020) do atual chefe do executivo da capital cearense. Roberto Freire procura ajudar o prefeito, Roberto Cláudio (PDT), nas liberações dos recursos públicos nos ministérios e nas autarquias federais. O Partido Popular Socialista (PPS) faz o papel de força auxiliar do prefeito Roberto Cláudio (PDT), como fosse a sua segunda agremiação partidária.

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) vai acomodar o secretário municipal de Turismo, o empresário Alexandre Pereira (PPS), na sua coordenação política, como o principal aliado interno, com capacidade de ter trânsito livre no Governo Federal do presidente Michel Temer (PMDB). A secção estadual do Partido Popular Socialista se colocou estrategicamente entre os interesses coletivos da Prefeitura de Fortaleza e do Governo Federal.

O secretário municipal de Turismo, o empresário Alexandre Pereira, já é um dos principais conselheiros do ministro Roberto Freire (PPS), que começa a ocupar o papel de articulador político-institucional do presidente Michel Temer (PMDB), em temas relacionados aos movimentos sociais e os representantes patronais nas futuras reformas institucionais dos próximos dois anos: Trabalhista,  Previdência e Política. Assista o vídeo:


Luiz Cláudio Ferreira Barbosa, sociólogo e consultor político
Fortaleza, 11 de Janeiro de 2017



terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Tasso Jereissati de Oposição Construtiva para Situação Parcial ao Camilo Santana




O governador Camilo Santana (PT) já confirmou que o super-secretário tucano Maia Júnior será responsável pela reestruturação da Máquina Administrativa e das Finanças Públicas do Governo do Estado do Ceará, no biênio 2017-2018. Camilo Santana precisava criar um canal de negociação com o Governo Federal através do senador Tasso Jereissati (PSDB).

O condomínio político-administrativo do ex-governador Cid Gomes (PDT) compreendeu a necessidade de perder a primazia da área econômica do Governo do Estado do Ceará. Cid Gomes tem noção da incapacidade do seu grupo político por  não conseguir dialogar com o Palácio do Planalto. O cirismo-cidista permitiu ao governador Camilo Santana (PT) construir a ponte de negociação, com o senador Tasso Jereissati (PSDB), que tem acesso ao presidente Michel Temer (PMDB) e ao ministro da Fazenda, o economista Henrique Meirelles, como representante na Casa Alta (Senado).

O senador Tasso Jereissati (PSDB) tem a intenção de impor a sua marca política na área econômica do Governo Estadual. Tasso Jereissati pode salvar o final do mandato do governador Camilo Santana (PT), com isso salvaria as Finanças Públicas do Estado do Ceará, pois a dependência de recursos financeiros de Brasília é fato histórico. O super-secretário Maia Júnior vai negociar com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, em nome do Estado do Ceará, com aval de Tasso Jereissati e Camilo Santana.

O governador Camilo Santana (PT) não traiu o ex-governador Cid Gomes (PDT), mas apenas reconstruiu o seu acesso aos recursos públicos, em Brasília. Cid Gomes tem noção de que a única ala cearense do presidente Michel Temer, com capacidade de parceria política-financeira é a do senador Tasso Jereissati ( PSDB), com o Governo Estadual. O senador Tasso Jereissati (PSDB) poderá ser a principal liderança política, em solo cearense, surgindo como o responsável por salvar as Finanças Públicas nesse período de crise do Governo do Estado Ceará.

Luiz Cláudio Ferreira Barbosa, sociólogo e consultor político
Fortaleza, 10 de Janeiro de 2017



segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Camilo Santana e o Modelo Econômico de Tasso Jereissati - Maia Júnior será o elo do Tassismo e do Cidismo?



O senador Tasso Jereissati (PSDB) ainda é a maior a referência política-administrativa na área de restruturação econômica do Estado do Ceará. Tasso Jereissati deverá ditar o futuro da política administrativa do biênio 2017-2018 do governador Camilo Santana (PT), com a indicação do seu aliado, o empresário Maia Júnior (PSDB), para o primeiro escalão do Palácio da Abolição.


O governador Camilo Santana (PT) vai inaugurar a nova sede do DETRAN, no Shopping Iguatemi de propriedade do senador Tasso Jereissati (PSDB). A inauguração ocorrerá nessa terça-feira (10/01), no período da manhã, com a presença de Tasso Jereissati e Camilo Santana, em clima de confraternização de suas respectivas comitivas. Camilo Santana mantém excelente relação política-administrativa, com o ex-governador e atual senador, Tasso Jereissati, que poderá ser um precioso aliado para a condução das políticas públicas do Ceará, em Brasília. 


O ex-governador Cid Gomes (PDT) tem consciência da necessidade do receituário econômico do período tassista (1987-2006), para colocar as contas públicas do Governo do Estado do Ceará, em dias ou no azul. Cid Gomes é oriundo do grupo político do senador Tasso Jereissati (PSDB), por isso manteve o alicerce macroeconômico tassista via o secretário de Finanças, o economista Mauro Filho, nos seus oitos anos de mandatos (2007-2014).


O senador Tasso Jereissati (PSDB) poderá ser o maior fiador político-administrativo do governador Camilo Santana (PT), com capacidade de trazer os recursos financeiros do Governo Federal para o Governo Estadual. O tassismo é um modelo administrativo bem mais do que um modelo oposicionista, por isso o futuro secretário Maia Júnior (PSDB), vai criar uma ponte entre Tasso Jereissati (PSDB) e os irmãos Gomes: Cid Gomes (PDT) e Ciro Gomes (PDT).


Luiz Cláudio Ferreira Barbosa, sociólogo e consultor político

Fortaleza, 09 de Janeiro de 2017



sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Domingos Filho e o Retorno ao Status Oposicionista



O presidente do Tribunal de Contas do Município, o conselheiro Domingos Filho, nem sempre fez parte da base governista, pois esteve um período na oposição tassista (1987-2006). A maior parte da vida de homem público de Domingos Filho, foi na secção estadual do PMDB. A imprensa cearense apenas pode avaliar o período governista (2007-2016) do novo desafeto político-administrativo do ex-governador Cid Gomes (PDT). 


O ex-deputado estadual Domingos Filho compreende a tarefa de ser chefe político de oposição, e também como isso irá impedir o crescimento do seu grupo partidário (PSD-PMB), no caso mais específico, a desidratação das fileiras dominguistas: prefeitos, ex-prefeitos, deputados estaduais, ex-deputados estaduais, vereadores, ex-vereadores e lideranças comunitárias. Domingos Filho poderá perder aproximadamente 40% de suas principais lideranças, para zona de influência do governador Camilo Santana (PT) e do futuro presidenciável Ciro Gomes (PDT).


O ministro de Comunicações, o ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD), já demonstra estar ao lado do seu principal aliado da política cearense: Domingos Filho. Gilberto Kassab deverá dar acesso ao grupo político-administrativo de Domingos Filho, para a manutenção dos recursos financeiros do Governo Federal, com isso a redução dos aliados dominguistas, em apenas menos 20% do total. Domingos Filho com a manutenção de 80% dos seus atuais apoiadores, já entraria na oposição, como o grupo mais coeso anti-Ferreira Gomes do Ceará. 


O final do primeiro semestre de 2017 poderá desmentir a minha principal tese da diminuição ou perda de apenas dos 20% do atual universo político-administrativo dos aliados do ex-vice-governador Domingos Filho, na política cearense. Domingos Filho não é neófito na arte de ser líder oposicionista ao Governo do Estado do Ceará. O meu artigo é apenas uma nova leitura na contramão da maioria dos comentaristas políticos cearenses sobre o futuro do grupo político-partidário de Domingos Filhos, nos próximos seis meses.


Luiz Cláudio Ferreira Barbosa, sociólogo e consultor político

Fortaleza, 06 de Janeiro de 2017